O Chamado de Babalon

Esse ritual deve ser executado durante um período de 77 dias contínuos. Caso esteja realizando o ritual pela primeira vez, você deve iniciar em um dia de lua nova. Caso já tenha realizado outras vezes, na lua cheia. É aconselhável manter um diário durante esse período anotando sonhos e sensações, experiências e atos.


Requisitos

• Japamala / Rosário com 49 pétalas/contas

• Velas Vermelhas

• Taça Dourada

• Vinho Tinto

• Incenso de Sândalo


A japamala pode ser substituída por qualquer outro utensílio que ajude nas 49 repetições do mantra. Inclusive um fio com 49 nós.As velas vermelhas podem ser substituídas por velas brancas. Caso haja necessidade é possível particionar a velas em pedaços menores – apenas tome cuidado para que a vela ou porção que for acesa ao início do ritual, queime até o final, e não seja apagada ao final do rito.O vinho tinto pode ser substituído por suco de uva integral, chá de hibisco ou mesmo água.O incenso pode ser substituído por outro que se tenha a mão. Caso seja necessário participar, é preciso observar a mesma recomendação que a feita para a vela.


Abertura

Coloque a taça com o vinho no altar. Acenda a vela e diga:


Santa Mãe Babalon,

Rainha Escarlate,

Mãe das Abominações,

Senhora do Abismo,

Santo Graal, Rainha dos Dragões,

Eterna Chama Viva:

In nomine Babalon!


Grande Filha de Rá,

Mãe da Paixão,

Êxtase Flamejante,

Néctar do Prazer,

Fonte da Vida,

Terra Fértil, Mulher Vestida com o Sol:

In nomine Babalon!


Senhora da Heka,

Morada das Visões,

Divino Sacramento,

Grande Mãe Libertadora,

Portal da Vida & da Morte,

Onde todes/todas/todos são gerados

& aonde todes/todas/todos deverão retornar:

In nomine Babalon!


Rainha do Céu & do Inferno,

Senhora do Desejo & da Luxúria,

Deusa Guerreira da Vingança,

Guardiã do Ponto Liminal,

Taça Dourada da Dissolução,

Oceano de Entendimento, Filha da Fortitude:

In nomine Babalon!


Acenda o incenso e diga:


Eu sou BABALON, A serpente sinuosa escondida Entre os veios da sabedoria.

Vós me perseguistes e estou aqui

Ouvi meu chamado, ó crianças Curvai-vos,

pois o caminho é aberto a todos,

Mas nem todos conseguem percorrê-lo.

Perder-se é muito fácil.

As minhas mãos não hão de conduzi-los, Mas meus olhos, sim.

Meu peito arde na chama do desejo,

Vossa boca bebe do vinho de minha taça, Minha loucura vos embriaga.

Não conseguis enxergar além,

Há muito mais do que um profundo regozijo,

Há muito mais no mais profundo,

Buscai, ó meus pequeninos,

Buscai meu gozo dentro de vós, Buscai as chamas de minhas ancas,

Percorrendo a turva canção de vossa alma.

Escutai meu chamado

Senti meu chamado

Embriagai-vos de desejo e volúpia.


Mantra de Babalon

Pegue agora seu rosário e ore solenemente a cada uma das contas:


Omari tessala marax,

tessala dodi phornepax.

amri radara poliax

armana piliu.

amri radara piliu son';

mari narya barbiton

madara anaphax sarpedon

andala hriliu.


Sacramento

Ó Babalon, Babalon, a bela

Tu, que és Mãe, Amante e Danação

Tu, que és Vida, Morte e Êxtase

Tu, que exala o mais doce perfume!

Tu, cujo útero é universal,

E queima como a lava do centro da Terra Cujos seios confortam e deliciam!

Teus cabelos flamejantes e sibilantes

Como a beleza estarrecedora e

a monstruosidade justiceira de Medusa!


Erga a taça com ambas as mãos e diga:


Ó Babalon amada,

Me prostro diante de ti

E lhe clamo que verta de Tua taça Em meus humildes lábios.

Permita-me a embriaguez

Da voluptuosidade do Sangue das Santidades.

Me nutra com este líquido vital Permita que eu me delicie no mel que escorre entre tuas pernas

Cinge minha testa com a Marca da Serpente Secreta

Cujo corpo é de cinzas e óleo santo

Que assim eu atinja o Entendimento

Que assim eu me torne cada vez mais

Implacavelmente teu/tua


Consuma todo o vinho até esvaziar por completo a taça. Repouse-a novamente no altar e diga:


IN NOMINE BABALON!


permaneça alguns instantes para que a energia do ritual se assente, se despeça e encerre o ritual. A vela vermelha deverá continuar a queimar até o fim.