Carta Aberta da Ecclesia Babalon

A Ecclesia Babalon foi fundada durante o Walpurgisnacht de 2018 por Tau Nahash, nos Estados Unidos, com o objetivo de unir a prática devocional e eclesiástica com a Tradição Gnóstica sob a Lei de Thelema e seguindo o código Iluminista Livre. Em um primeiro momento, a Ecclesia Babalon adotou como forma de organização um modelo centralizado, com a liderança sob a figura do Bispo Primaz e uma estrutura religiosa convencional católica centrada na figura do seu fundador.

Em 7 de Agosto de 2019, Tau Hanu foi incardinado à Ecclesia Babalon, iniciando assim a expansão internacional desta para o Brasil através da organização Four Gates Sanctuary – grupo então fundado no país com objetivo de desenvolver um fazer religioso gnóstico-thelêmico de natureza devocional e iniciática em território brasileiro.

O ano de 2020 trouxe consigo os desafios de enfrentar a pandemia global da Covid-19. A humanidade como um todo foi desafiada a se adaptar mediante os desafios impostos pelo isolamento social, sendo este um percalço compartilhado pela recém fundada comunidade brasileira da Ecclesia Babalon que precisou se adaptar para crescer em tempos tão adversos.

Em 16 de Agosto de 2020, Tau Nahash renunciou a liderança da Ecclesia Babalon para se dedicar a outros projetos como os “Bhakti Votaries”, adotando assim o manto de Bispo Primaz emérito. Por motivos diversos, a comunidade estadunidense da Ecclesia Babalon havia adormecido, sendo a comunidade brasileira a única ativa neste momento. Por este motivo, Tau Nahash nomeou Tau Hanu como Bispo Primaz da Ecclesia, em decisão que foi confirmada pelo mesmo em 8 de Fevereiro de 2021, transferindo a liderança institucional dos Estados Unidos para o Brasil.

Com a mudança de sua sede, a Ecclesia Babalon sofreu sua primeira mudança estrutural, substituindo o tradicional sistema de ordenações baseadas em graus organizados em Ordens Menores e Ordens Maiores por um sistema baseado em 3 círculos de comprometimento: crianças da terra (membros leigos), amantes (sacerdotes) e eremitas (bispos) - além da substituição do seu sistema de ingresso com um ritual de batismo pneumático ao invés do batismo por imersão.

Ainda em 2021, Tau Nahash retomou seu trabalho devocional através da “Order of Dark Mother''. Identificando a sinergia entre as iniciativas, Tau Hanu convidou Tau Nahash a retornar à Ecclesia e no dia 8 de dezembro de 2021 ambos celebraram um novo ato, para que em cada país onde a Ecclesia Babalon tivesse atuação a mesma passasse a ser liderada por um Arcebispo local, eleito entre os membros do 3º Círculo. Cada Arcebispo seria apoiado por um Grupo de Administração denominado Coven e que seria formado por membros do 3º círculo e membros escolhidos do 2º.

Em teoria, o novo modelo de administração permitiria à Ecclesia Babalon descentralizar a administração, aumentaria a capilaridade da Ecclesia, deixando-a mais ágil e mais preparada para se adaptar aos desafios de cada comunidade. Infelizmente, o que se observou a partir do retorno de Tau Nahash foram tentativas da imposição de práticas, costumes e posicionamentos da jurisdição norte-americana sobre a brasileira. O coven brasileiro buscou atuar de forma mais harmônica e fraterna possível, dialogando e negociando alternativas para manter um constante canal de comunicação com as irmãs e irmãos estadunidenses. Infelizmente a disposição brasileira não encontrou eco no coven estadunidense.

O momento crítico da relação entre ambas Ecclesias ocorreu quando o coven estadunidense buscou associar o seu ofício ao trabalho realizado por sites privados de conteúdo pornográfico sob a alegação de “magia sexual”.

A todo momento o Coven Brasileiro se posicionou no entendimento de que todo indivíduo é livre para trabalhar como e com o que quiser, sendo necessário, porém, separar o que é um trabalho privado e o que é um trabalho da Ecclesia – não apenas para que o propósito devocional não seja ofuscado, mas também para que nossa missão não seja condicionada ao pagamento de assinaturas e subscrições em sites de terceiros.

Nos dias 23 e 24 de agosto de 2022 ocorreu uma reunião entre o coven brasileiro e estadunidense, onde se mostrou que esse ponto era indiscutível pela comunidade norte-americana. Para o coven brasileiro, a segurança, a dignidade e a seriedade religiosa eram os pontos fortes e importantes e, portanto, este defendeu a implementação de um código de conduta que norteasse o que poderia e o que não poderia ser feito em nome da Ecclesia Babalon. Para o coven estadunidense por sua vez, a implementação de qualquer norma ou código no escopo da Ecclesia Babalon soava como absurda, tendo em vista o seu desejo de manter um ambiente livre de qualquer tipo de regras.

O segundo dia de reuniões terminou sem consenso entre o coven brasileiro e estadunidense, e ambos os grupos optaram por seguir caminhos distintos em prol da realização da Grande Obra. Neste mesmo dia, Tau Nahash publicou no Canal de Anúncios da Ecclesia Babalon no discord:

Com efeito imediato, a Ecclesia Babalon North America e a Ecclesia Babalon Canada deixarão de ser afiliadas à Ecclesia Babalon Brasil, devido à exigência de focar nas necessidades e nuances de cada país. Nenhuma Jurisdição da Ecclesia Babalon será vinculada de qualquer forma, a menos que seja formalmente autorizada. Nós isentamos o Brasil da responsabilidade do nosso processo sacramental, pois nos isentamos da necessidade deles de uma curadoria mais rigorosa do conteúdo produzido. Desejamos-lhes felicidades e continuação da Grande Obra.

Seguiram no Coven Brasileiro: Shin Vesta, Shin Valknut, Shin Khepri, Shin Ansar'Ahmed, Tau Acacius e Tau Hanu. Entendendo que a existência de organizações homônimas, mas com fundamentos e modus operandi distintos, seria maléfico não apenas para a egrégora mas também para a comunidade como um todo, o coven brasileiro se reuniu em outubro de 2022 para Transmutar a Ecclesia Babalon, a Ordem de Abraxas (organização irmã da Ecclesia Babalon) e o Four Gates Sanctuary no Santuário de Babalon, que segue com o seu objetivo de promover a Grande Obra sobre os pilares da Lei de Thelema, da Tradição Gnóstica e do Código Iluminista Livre.